Saturday, April 4, 2015

FERRAMENTAS PARA O RECRUTAMENTO DE ADULTOS (Parte IV [última])

Texto de apoio elaborado por Sara Milreu, relativo ao módulo “Ferramentas para o Recrutamento de Adultos” integrado na 1.ª acção de formação da AEG-Portugal.
(adaptado do "Generational diversity in the BSA workplace", dos Boy Scouts of América)

Questões Geracionais e algumas Soluções

O significado do trabalho

O trabalho é sempre uma componente importante da vida de todos nós e da forma como nos definimos. A perspectiva das diferentes gerações face ao significado do trabalho pode resumir-se do seguinte modo:

Veteranos: trabalham porque gostam e encaram o trabalho como uma diversão, um acto de voluntariado, ou estão numa posição de liderança ou de destaque.

Pós-Guerra: a grande fatia desta geração continua a ser uma componente importante da forma como se definem, continua a representar um local onde querem ver os seus esforços reconhecidos e serem aceites. Alguns começam a reformar-se e estão à procura de substitutos, transferência do poder institucional, que-rem deixar o seu legado e transmitir-lhes a sua sabedoria. 

Geração X: a maturidade já lhes permite encarar o trabalho com um ambiente estável que lhes permite sustentar a família, mas com uma perspectiva de 3 a 5 anos, não mais. Capítulo da sua vida que lhes permite ir um pouco mais longe.

Geração do Milénio: algo que lhes ajuda a garantir um bom estilo de vida e um rendimento, mas que não os define, que lhes permite interagir com os seus pares, um local onde vão para trabalhar com alguém que os pode ajudar a atingir os seus objectivos.

Recrutamento
As estratégias de recrutamento devem variar de acordo com a geração que queremos atrair.

Para atrair os Veteranos, temos de lhes dar possibilidades de demonstrar o seu valor, de lhes demonstrar que têm conhecimentos e capacidades que podem e devem constituir um legado para as gerações seguin-tes. Precisam de um ambiente estável e de confiança, onde saibam que vão ser apreciados.

Os membros da Geração Pós-Guerra precisam de ver que ainda há espaço para liderar, para se assumirem enquanto força motriz do desenvolvimento da Associação.

Para recrutar elementos dentro da Geração X é necessário falar-lhes sobre as possibilidades de aprendiza-gem, sobre os outros indivíduos com quem pode estabelecer contactos e relacionamentos, da oportunidade de terem um mentor que os ajude a desenvolver-se e a ir mais longe no seio da Associação.


Para a Geração do Milénio, é importante centrarmo-nos nas possibilidades de aprendizagem num muito curto prazo, 3 a 6 meses, pois precisam de ver resulta-dos rápidos. Outra forma de os convencer é falar-lhes das redes que podem criar com os seus pares, através de projectos rápidos e imediatos. O seu individualismo deve ser cultivado, deixando-os brilhar. Eles sabem claramente onde estão e onde querem chegar, só preci-sam de um “empurrão” inicial que os faça avançar na direcção certa. Procuram agentes facilitadores nas associações, tal como os tiveram na figura dos pais.

Retenção
Para mantermos os nossos membros é necessário certificar-nos de que os nossos membros são líderes e estabelecem ligações, de uma forma muito pro activa. Não podemos deixar que os elementos da Geração X ou do Milénio se desmotivem e abandonem o Movimento por falta de tarefas para desenvolver ou de projectos para organizar. Preocupados com cada indivíduo, como ajudá-los, como integrá-los melhor, abordagem de preocupação e empatia genuína – conhecer o indivíduo e ajudá-lo a “florescer”.

Avaliações do Desempenho – performance reviews
Avaliar é importante, mas tem de ser feito de modo adequado. Não podemos demorar um ano para perce-ber que algo estava mal. Geração que nunca foi critica-da, por isso é preciso mostrar para que servem os da-dos, como se lêem e como se aproveitam para melho-rar as coisas.

Tópicos úteis

Porque é importante conhecer e reconhecer a diversidade geracional nas nossas Associações?
Conhecer e reconhecer a diversidade geracional pode ser um diferenciador estratégico, na medida em que nos per-mite adequar a nossa comunicação a cada uma das gera-ções e melhorar a eficácia das nossas interacções. Aumenta o respeito e o apreço de todos pelas diferenças e pelo que os outros têm para oferecer às nossas associações.


Introdução à Secção III - Trabalhar com as diferentes gerações
Nunca como antes, devido ao aumento da esperança média de vida e à forma como o envelhecimento activo é encarado, as nossas associações contaram com esta “mistura” de gerações. Tal diversidade pode dar-nos maior riqueza e produtividade, mas para tal é necessário compreender claramente as características de cada uma e a forma como cada geração é “única”.
Neste sentido, e apesar de a pertença a uma determinada geração ter um impacto significativo sobre a forma como cada um de nós vê o mundo, cada indivíduo teve um conjunto muito próprio de experiência, valores e crenças que pode introduzir algumas alterações a estes conceitos generalizados.
Assim, e como sempre na experiência da Humanidade, é importante conhecer e respeitar a individualidade de cada um dos nossos companheiros, nas mais variadas circunstâncias.

Conhecer a diversidade geracional ajuda-nos a compreender:
1) Que houve diversos fenómenos que deram origem ao sistema de valores, aspirações, atitudes e expectativas das diferentes gerações;
2) Que as diferentes gerações têm diferentes modos de ver o mundo, diferentes objectivos de desenvolvimento pessoal, diferentes formas de se expressar e envolver;
3) Que é necessário ter uma abordagem diferenciada para motivar as diferentes gerações,


Diferentes gerações, diferentes visões do que é, e formas de trabalhar em, equipa:

Veteranos: grupo, unidade, medida de proximidade, o grupo é tangível e constituído por pessoas conhecidas – “nós” em vez de “eu” – capacidade de escuta activa das opiniões dos outros.

Geração do Pós-Guerra: equipa é igual a tanto faz, a equipa tem de ser composta por pessoas que partilhem a mesma atitude,  clioente vem em 1º lugar, o objectivo final de terminar a tarefa vem em 1º lugar, quem quiser trabalhar e se revir nos objectivos é bem-vindo à equipa.

Geração X: eu tenho uma função e esta obedece a uma descrição, eu venho trabalhar todos os dias e desempenho as funções descritas nesse documento, depois regresso ao “meu” tempo, a equipa é importante e compreendo que tenho um papel a desempenhar na equipa, mas não me conformo exclusivamente em satisfazer as necessidades da equipa, quero apenas cumprir o meu dever, conforme descrito na descrição de funções.

Geração do Milénio: digam-se quais são os benefícios de estar nesta equipa, qual a utilidade, como vai ser, para mim, essa experiência de trabalhar em equipa o que me vai trazer a equipa, maior individualismo.


Tabela comparativa das gerações


Veteranos
Antes de 1945
Geração do Pós-Guerra
1945-1964
Geração X
1965-1979
Geração do Milénio
1980-2000
Pontos fortes
Estáveis; seguem as regras
Trabalham bem em equipa;
são competitivos
Adaptáveis e flexíveis; alta literacia tecnológica
Polivalentes; dominam a tecnologia
Atitude geral
Práticos mas conservadores
Positivos; lutam pelo sucesso
Cépticos e pessimistas
Optimistas; esperançosos
Atitude perante a autoridade
Respeito
Amor/ódio
Não se deixam impressionar ou intimidar
Aceitam-na de forma deferente
Estilo de Liderança
Hierárquico; com base na antiguidade
Participativo; consenso
Baseado na competência; claro e directo
Inclusivo; avesso aos conflitos
O que os desmotiva
Comentários vulgares e pouco apropriados
Politicamente incorrecto
Exageros  e clichés
Espera e atrasos
Experiência face à Diversidade
Segregação étnica
Início da integração étnica
Sociedade integrada como norma
Realinhamento das maiorias raciais
Informação sobre o Desempenho
Não ter notícias, é uma boa notícia
Periódica; com base em dados concretos
Interrompem e perguntam: “como está a correr?”
Querem informação instantânea e constante
Objectivos de carreira
Um emprego para a vida; construir o seu legado; segurança no emprego
Visibilidade; reconhecimento; melhoria das condições
Sucesso alcançável; sempre a aumentar competência
Actividades paralelas; oportunidade de agir em várias vertentes




Geração X
1965-1979
Geração do Milénio
1980-2000
Pontos fortes
Adaptáveis e flexíveis; alta literacia tecnológica
Polivalentes; dominam a tecnologia
Atitude geral
Cépticos e pessimistas
Optimistas; esperançosos
Atitude perante a autoridade
Não se deixam impressionar ou intimidar
Aceitam-na de forma deferente
Estilo de Liderança
Baseado na competência; claro e directo
Inclusivo; avesso aos conflitos
O que os desmotiva
Exageros  e clichés
Espera e atrasos
Experiência face à Diversidade
Sociedade integrada como norma
Realinhamento das maiorias raciais
Informação sobre o Desempenho
Interrompem e perguntam: “como está a correr?”
Querem informação instantânea e constante
Objectivos de carreira
Sucesso alcançável; sempre a aumentar competência
Actividades paralelas; oportunidade de agir em várias vertentes

Adaptado de http://olc.scouting.org/courses/diversity/index.html

No comments: